Filtro Hario V60 (branco) x Filtro Waals

Será que o filtro da Waals é tão bom como o da Hario V60 branco? Ao longo deste blogspot, você mesmo será capaz de dar esta resposta. Fizemos diversos testes entre eles, desde extração, escalde e muito mais. Antes de iniciarmos a nossa jornada, é válido destacar que o objetivo deste texto é entender as diferenças entre cada tipo de filtro em suas variações, aquilo que eles podem agregar ao seu café especial e não necessariamente apontar um ranking do pior para o melhor. Então, vamos nessa!



TESTE 1: ESCALDE


É muito comum ouvirmos que é necessário, sempre, escaldar o filtro com água quente. Mas, seria esta uma verdade incondicional? Será que todos os filtros, de fato, precisam ser escaldados com água quente? Ou ainda, você sabe o real objetivo do escalde​​?


O principal objetivo do escalde é retirar o sabor de papel do filtro, seja o escalde frio ou o escalde quente. Além disso, o escalde quente dá aderência ao suporte e, claro, esquenta todo o circuito. Por vezes, a se a diferença entre o escalde com água fria e com água quente for muito pequena ou irrelevante, o escalde com água quente não se faz necessário.


Quando o escalde foi feito com água fria, tanto o V60 da Hario como o Waals se saíram super bem, o gosto residual de papel é muito discreto em ambos, com uma discrição ainda maior para o filtro da Waals. Nos dois, a água saiu super transparente, revelando, assim, ausência de fortes substâncias residuais. Ou seja, isso indica que para um café coado no filtro Hario V60 branco ou no Waals, o escalde com água quente é desnecessário.


Dica Crio: se, com água em temperatura ambiente, o filtro não revelar notas de papel, ele não precisa ser escaldado com água quente. Ou seja, você salva tempo no preparo do seu café e o planeta agradece, já que não teremos consumo de energia ou gás.


Extra, extra! Fizemos este mesmo teste com mais três filtros: Melita 102, Hario V60 cru e Daiso. Os resultados já foram bem diferentes daqueles que obtivemos com o Waals e com o V60 branco da Hario.




TIPO DE FILTRO

ESCALDE FRIO

ESCALDE QUENTE

Melita 102

gosto marcante de papel, água levemente turva

gosto forte papel, água turva

​Hario V60 Cru*

gosto de papel, água transparente

gosto marcante papel, água levemente turva

Daiso

gosto muito forte de papel, água levemente turva

gosto muito forte de papel, água turva

*O famoso filtro Cru da Hario V60. Aqui, também, temos um certo mito que filtro cru é melhor que filtro branco por ser natural. Infelizmente, ele “solta” muito sabor de papel na água. Com isso, apesar de ser uma melhor escolha para o meio ambiente, o filtro cru da Hario não é o mais indicado quando queremos um café coado limpo e potente. Inclusive, a água quente do escalde do filtro Hario V60 cru ficou com sabor levemente adocicado.


Veredito: neste teste, o filtro da Waals se saiu muito bem e, como não revela sabor de papel, ele pode ser usado diretamente sem que precise ser escaldado com água quente.


Curiosidade: é interessante notar que todos os filtros, após escaldados, triplicam o seu peso.



TESTE 2: EXTRAÇÃO


Chegamos no teste mais importante deste post! É o momento em que estamos esperando, vamos lá extrair café! Fizemos o mesmo café com o mesmo parâmetro de extração, com o mesmo suporte V60, mas com diferentes filtros de papel: Hario V60 02 Branco, Waals branco e Melita 102 dobrado.



A partir daí, é válido destacar que todos os testes seguiram, exatamente, os parâmetros abaixo:


Moedor: Timemore C2 (clique/moagem 22)

Café: microlote catuaí amarelo do Crio - 10g

Resultado final de café coado: 120g

Tempo de moagem: 20 segundos

Todos os testes de extração foram realizados com filtros escaldados com água fervida


O que os testes nos revelaram foi que o Hario V60 Branco revelou mais o corpo e a doçura do catuaí amarelo, ao passo que o filtro da Waals trouxe à tona a acidez do grão. Já o Melita, mesmo escaldado com água quente, ainda revela um pouco do sabor do papel, interfere na extração, além disso, traz mais o amargor ao café.


É válido destacar que os resultados foram em cima dos parâmetros que fizemos, um outro tipo de grão, torra, moagem e etc pode mudar completamente os resultados obtidos. Diante disso, fica claro que, tanto Hario V60 branco como Waals, se saíram muito bem nos testes que realizamos.



Então, se você busca fortalecer a indústria nacional e quer ter um ótimo filtro com preço mais acessível, vale investir no filtro da Waals. Por outro lado, se os preços estiverem parecidos e você não liga muito para a origem do produto, o V60 branco da Hario é, também, uma ótima opção.


Será que o Waals aguenta um coadão para a família?


Vimos em outros testes e também em um dos que fizemos, que o filtro da Waals se rompe muito tempo após escaldado. Inclusive, é indicado que o filtro não seja retirado do suporte junto com o café, mas que seja descartado tudo diretamente na lixeira para evitar que o pó penetre no café coado.


Por outro lado, numa alta extração*, o filtro da Waals aguentou, sim! Contudo, o resultado final não é interessante, temos um café com amargor e que perdeu as notas de doçura e acidez. Como o sabor do café perdeu muito a sua potencialidade, a lição que fica é: não faça grandes extrações com este filtro. É melhor fazer mais extrações com o objetivo de ter um resultado final com muitos ml de café do que fazer uma única extração longa.


*Moedor Timemore C2 (clique 22) | Café microlete catuaí amarelo do Crio - 45g | Resultado final de café coado: 600g | Tempo de moagem: 1 minuto e 40 segundos


E aí, vamos continuar testando? Como sempre dizemos por aqui, não existe receita perfeita, são muitos fatores que podem gerar resultados diferentes, seja o grão, a torra, a água, a moagem, as proporções e etc. Só temos duas regras para café coado: adquira um bom café especial e ferva a água! No nosso próximo test drive, mostraremos como fazer um coadão sem perder as suas características!


124 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo
WhatsApp.svg.png